Professor Deniel Martins Batista comenta tema da Redação do Enem

09/11/2017 |

Graduado em Letras pela Faculdade Sete de Setembro – FASETE. Professor de Gramática e Redação do Colégio Montessori.

 

 

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é o principal alvo da preparação acadêmica dos estudantes brasileiros que visam a uma vaga nas melhores instituições de ensino superior do país. Logo, é absolutamente normal que tal exame crie expectativas – e preocupações – acerca de seu nível e, de forma mais acentuada, da sua proposta de redação. Isso se dá pelo fato de que desenvolver uma boa redação exige dos candidatos uma alta capacidade de compreensão, argumentação, aplicação de conhecimentos das mais distintas áreas e organização.

A redação do Enem é alvo constante de inúmeras especulações quanto ao seu tema que, vale ressaltar, trata de relevantes problemáticas sociais. Este ano não foi diferente. Não obstante, o tema “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil” foi uma grande surpresa para todos (logicamente, sem retirar sua devida importância social), inclusive para os profissionais da educação que fazem diversas apostas quanto à proposta.

Por conseguinte, é compreensível que muitos estudantes tenham sentido dificuldades para desenvolver esse tema. Não pelos assuntos geradores (inclusão e acessibilidade), mas pela especificidade (apenas sobre o público surdo). Entretanto, os candidatos que souberam “dissecar” a coletânea (conjunto de textos sobre o tema) puderam, indubitavelmente, obter um caminho mais concreto para poderem produzir seus textos sem grandes impedimentos. Essa “facilitação” se dá pelo fato de os textos apresentarem as principais problemáticas relacionadas a esse imbróglio social, a exemplo dos textos I e III que falam, respectivamente, sobre o direito de todo cidadão a uma educação de qualidade e as consequências no mercado de trabalho resultantes do preconceito relacionado ao público surdo.

Em relação à anulação da regra que zeraria a redação de quem desrespeitasse os direitos humanos, os candidatos, provavelmente, não sentiram qualquer tipo de mudança, pois falar sobre a educação de surdos no Brasil não dá brechas a uma possível violação desses direitos, uma vez que esse assunto não causa discussões mais tensas em meio à sociedade atual. Por outro lado, é importante salientar que trazer esse problema social à tona é algo pertinente, pois faz cada cidadão refletir sobre como é a situação dos surdos não só a nível nacional, mas municipal.

Para finalizar, fica evidente que os estudantes devem estar cada vez mais preparados para a redação do Enem, providos do exercício regular de uma leitura construtiva, de uma constante atualização, de conhecimentos diversos (principalmente acerca de história, filosofia e sociologia), de criticidade e, sobretudo, de prática, pois só assim obterão uma maior facilidade – e tranquilidade – no tão aguardado momento da produção da redação do Exame Nacional do Ensino Médio.

 

 

Postado por Redação Todahora.net

2016 - todahora.net
Todos os direitos reservados
75 99286-0035 / 75 99805-6789
falecom@todahora.net